Equipe produtiva - 1ª parte

Contrata-se pelo currículo e demite-se pelo comportamento.

Foi somente nas últimas quatro décadas que os gestores começaram a perceber que para aumentar o resultado financeiro, a empresa depende de estratégias eficazes também para administrar a motivação dos colaboradores. Observaram que é fundamental investir em planejamento, capacitação, carreira e qualidade de vida no trabalho para formar uma equipe de alta performance alinhada aos objetivos da organização.


Abordaremos, a partir deste artigo, temas importantes sobre gestão do RH, de forma direta e objetiva. Para identificar o nível de satisfação da sua equipe, agende conosco a aplicação gratuita de pesquisa de clima organizacional na sua empresa.


ONDE TUDO COMEÇA


Pesquisa realizada pela revista Você S/A aponta que 87% das dispensas de colaboradores acontecem por problemas de comportamento e apenas 13% por razões técnicas. Esse resultado dramático começa com falhas no processo de recrutamento e seleção. Não basta que um membro da sua equipe alcance metas se ele não consegue seguir regras, conviver bem com os colegas e manter seu equilíbrio emocional diante das adversidades do ambiente profissional, prejudicando, com isso, todo time.


O que normalmente provoca comportamentos inadequados é a incompatibilidade do perfil do colaborador com o perfil da vaga. Na maioria das empresas existem profissionais que estão ocupando cargos errados, desenvolvendo funções incompatíveis com a sua natureza. Podem até alcançar bons números, mas à custa de muito estresse.


É comum encontrarmos, por exemplo, pessoas introvertidas ou tímidas em cargos que exigem facilidade de comunicação e relação interpessoal e outras, muito comunicativas e distraídas, entediadas com atividades que exigem concentração, cálculos e gestão de documentos.


Antes mesmo das ações de melhoria da produtividade da equipe atual, redução do absenteísmo e da rotatividade, motivação e bom relacionamento entre os colaboradores, comece pela revisão do processo de recrutamento e seleção, pois é a porta de entrada para novos colaboradores. Considere usar um software (há alguns excelentes), aplicar testes de personalidade e comportamento e selecionar candidatos que realmente atendam às exigências do cargo.


Existem inúmeros métodos e ferramentas de análise de perfil comportamental, como DISC, Big five, Mentalidade de crescimento, Star etc. O mais tradicional é o DISC, cujo relatório gera informações relevantes para compreender a natureza comportamental do colaborador ou candidato avaliado. As análises podem ser complementares e até aplicadas conjuntamente.


READEQUAÇÃO DE FUNÇÕES


Já que estamos falando de análise de comportamento, para colocar cada um de seus colaboradores na função mais adequada, comece identificando o perfil daqueles que melhor desempenham as suas atividades, em cada departamento, a fim de que seja parâmetro para a análise das possíveis realocações.


Priorize as transferências daqueles colaboradores que estejam apresentando baixa produtividade e monitore seus indicadores de performance com frequência.


Nos próximos artigos, daremos continuidade ao tema.


Fale agora com um de nossos consultores. Clique aqui!

Até a próxima semana!


James Warley

consultoria@idecorp.com.br


PS: Se você gostou deste conteúdo, informe-nos clicando no coraçãozinho!

 

Veja também:


Curta e compartilhe as nossas dicas. Assine a nossa lista e receba orientações gratuitas do Idecorp em primeira mão.

#resultado #consultoria #dinheiro #acelerae #maisresultado #idecorp #jameswarley #planejamentoestrategico #vendas #idecorp #sebrae #projetos #qualidade #produtividade #excelência #planejamentoestratégico #empreendedorismo #empresa #marketing #liderança #negócios #tática

57 visualizações

Posts recentes

Ver tudo